quarta-feira, 10 de outubro de 2012

662 - ENCONTRO NO MOTEL




Há algum tempo ir a um motel deixou de ser encarado como um programa promíscuo. Hoje, muitos frequentam esses locais para manter a chama acesa ou até mesmo para se divertir. Existe motéis para os românticos, os modernos, os antenados ou os ousados, vários deles com muito conforto, luxo e e surpresas.

No início da década de noventa, recém chegado à Macapá, marquei um encontro com uma moça em um motel denominado Pau Preto, localizado no bairro central da cidade, área residencial e bastante movimentada. Os quartos do indiscreto estabelecimento eram bem simples, com paredes de madeira e não possuíam sequer banheiros privativos. Mas, na época, eu não conseguiria pagar um local mais caro e sofisticado.

No dia acertado, como estava atrasado e para não ser identificado pelas pessoas da rua, desci a ladeira da Avenida Presidente Vargas em alta velocidade. Chegando ao estabelecimento encontrei a jovem me esperando na pequena recepção. Nervosa, um pouco irritada e mostrando o relógio, ela me perguntou:

- Por que você demorou tanto?

Suado com o esforço físico para chegar até ali, mas ansioso para o momento de intimidade, pus a tranca com cadeado no meu veículo e respondi:

- É que o pneu da bicicleta tava furado…


(imagem Google)

3 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Eliziê Silva cavalcante10 de outubro de 2012 20:31

    Kkkk, ainda bem que não te conheci nessa época ....

    ResponderExcluir