sábado, 3 de dezembro de 2011

504 - SE DIRIGIR NÃO FUME



Em 1980, o professor Paulo Danúbio voltou para sua querida cidade natal - Várzea Alegre - dirigindo o seu primeiro carro, um fusca de cor verde abacate.

De “carro próprio”, o varzealegrense radicado em Fortaleza, após tomar umas cervejas no bar de Valdisio, na Praça dos Correias, seguiu pela recém-inaugurada Avenida do Contorno em direção ao Bairro Juremal. Ao passar pelas margens da Lagoa de São Raimundo, o motorista jogou o cigarro que fumava pela janela do veículo. Como que por vingança, o vento trouxe de volta a bagana acessa que caiu dentro da camisa do professor.

Desesperado, com a ponta de cigarro queimando seu corpo, Paulo Danúbio soltou imediatamente a direção do fusca para retirar a brasa de dentro da roupa. Não deu outra. Desgovernado, o fusca verde abandonou a estrada e desceu o aterro.

Felizmente o professor não sofreu nada além das pequenas queimaduras no tórax. O resistente carro, sem maiores avarias, foi guinchado das margens da lagoa.

Naquele mesmo dia, no início da Rua dos Perus, ainda se recuperando do susto, Paulo encontrou o ferreiro Chico Basil  saindo do bar de Maria Araripe. Com umas boas doses de cachaça circulando na cabeça, o irreverente ferreiro aconselhou:

- Paulo, inda bem que você num sofreu nada. Mais hômi, compre um Vôquis* com cinzeiro...


* referência à Volks, redução para a marca alemã de veículos Volkswagen
(imagem Google)

2 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Muito boa!

    ResponderExcluir