quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

292 - JURAS DE DESAMOR



           No final da década de oitenta, em Várzea Alegre, por conta de um período conflituoso, um jovem casal decidiu se separar. Em face das várias brigas e discussões acontecidas, o conturbado relacionamento e a conseqüente separação chamaram a atenção de toda a pequena cidade cearense.

          O marido saiu de casa jurando publicamente que era um caminho sem volta. A mulher afirmava aos quatro cantos que jamais aceitaria o retorno do esposo.

          Algumas semanas após o rompimento, a esposa ligou para o marido para tratar do encaminhamento do processo de "desquite". O papo fluiu, reacendeu sentimentos e desejos e os dois acabaram marcando um encontro. Longe dos olhos e ouvidos dos fofoqueiros da cidade, combinaram se ver na madrugada, às escondidas.

          A feliz e secreta reaproximação do casal aconteceu como programada, numa tranqüila noite de segunda-feira.

          Após matar a saudade, o ex-marido saía pelos fundos da sua antiga residência, pulando um pequeno muro, quando alguém, de uma casa próxima, abriu a janela e falou em voz alta:

         - Eita desmantelo grande! O vizin botando chifre nele mesmo.

(imagem Google)


4 comentários:

  1. muito boa vai pro meu blog hoje abraços

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkk O ditado popular diz: escondido...
    kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Flavius,você é show! Gostei.

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Já vi muita qualidade de chifre, mas botato em você mesmo ...... kkkkkkkkkkkkk Que nome dá a esse tipo de corno???? kkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir