terça-feira, 25 de janeiro de 2011

316 - DO AMAZONAS AO VELHO CHICO



 
          Em recente e divertida viagem pelo nordeste brasileiro passamos por especiais lugares do nosso país. Com esposa, filhas, mãe e sobrinho navegamos pelos imponentes cânions do Rio São Francisco e visitamos umas das importantes usinas hidrelétricas de Paulo Afonso.

          Em seguida, após cruzar de carro o peculiar sertão nordestino, em especial a região do Raso da Catarina, terreiro predileto do cangaceiro Lampião, fomos ao belo litoral norte baiano. Na bem frequentada Praia do Forte, conhecemos o interessante projeto Tamar, de proteção às tartarugas.

          Em Salvador, depois de uma visita ao Pelourinho, com a criançada já reclamando de fome, buscamos na Cidade Baixa um restaurante para almoçar. Como pouco conhecia a histórica capital baiana, saí em busca aleatória de um self service para acalmar o estômago dos turistas.

         Ao avistar a primeira placa fui logo entrando com o carro. No estacionamento percebi que se tratava de um estabelecimento diferenciado, de muito luxo. Não deu mais pra recuar, as crianças correram e sentaram-se à mesa que nos foi indicada, com vista para a belíssima Baía de Todos os Santos. Estávamos no Amado, um dos mais premiados restaurantes de Salvador.

         Depois de provar diferentes pratos e receber a conta, indaguei ao garçom sobre o delicioso mas tão caro peixe servido no almoço. Com a informação do chef, o simpático garçom voltou dizendo que o pescado vinha das bandas do Pará.

          Na verdade, ainda deslumbrados com o luxuoso ambiente, descobrimos que saímos do extremo norte do Brasil para nos deliciar com uma apetitosa pescada amarela originária da piscosa costa do nosso rico Amapá.


(imagem Google)

5 comentários:

  1. hauhauahuha
    Fato parecido também me aconteceu!

    ResponderExcluir
  2. Flávio, parabéns pelo blog. divertido, sagaz e com aquela pitada de sabedoria popular, sem falar nas sensacionais esquisitices de nossa Várzea Alegre.
    abração
    George Cândido Rolim

    ResponderExcluir
  3. Fatima Andrade Bezerra26 de janeiro de 2011 08:21

    Flávio..vc realmente tem mtas histórias, apesar de ser essa pessoa culta, intelectual, bem sucedido em sua profissão, uma autoridade..não perde a sua originalidade, esse jeito de ser q lhe é peculia, e a todos cativa. Temos mta admiração por vc. Só um pedidinho em nome de mtos: Vem comandar a nossa cidade..rsrsrs.

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkk...inda bem que o tempero baiano é bom...dá próxima é melhor ser mais atento... essa foi boa. Abraços.

    ResponderExcluir