domingo, 27 de janeiro de 2013

710 - TANAJURA




         Em que pesem as influências de outras culturas, como a que leva mulheres brasileiras a turbinar os seios imitando as americanas, a preferência nacional continua apontando firmemente para as fêmeas de traseiro avantajado.

         Essa fascinação estética exerce poder sobre a música, a moda, o cinena, e repercutiu até mesmo na grandiosa obra do inesquecível Carlos Drummond de Andrade, em seu poema “A bunda, que engraçada”. 

         Refletindo sobre essa atração nacional pelo derriére, lembrei que em Várzea Alegre a caça pelos traseiros grandes existe há muito tempo. Desde menino, no sertão cearense, no início do período de chuvas, buscando aquelas voadoras e bundudas formigas, para depois torrar em uma frigideira o seu oleoso traseiro, cantávamos, inocentemente:

- “Cai, cai tanajura*. Tua mãe na rapadura e teu pai na criatura...”


*TANAJURA é uma formiga alada, do sexo feminino, da família das saúvas.

(imagem Google)

Um comentário:

  1. Dizem que tanajura torrada era a comida preferida de Monteiro Lobato.

    ResponderExcluir